quinta-feira, 27 de junho de 2013

O leão na cova...


...e também desceu, e feriu um leão dentro duma cova, no tempo da neve.” I Cr 11, 22c

Era inverno. Ali estava o leão. Sua aparência frágil devido ao rigoroso inverno o fazia parecer quase morto...

Um homem desceu ali na cova, no frio, e matou o leão. Para que se arriscar? Naquela situação o leão parecia inofensivo e digno de ajuda, não uma ameaça. Mero engano...O leão sempre é uma ameaça.

O leão na cova é a carne do homem. Acontece que alguns sentimentos, pensamentos, hábitos, mesmo depois de convertidos no Senhor, insistem em ficar vivos. Escondem-se em alguma “cova” do coração. As vezes o Senhor nos mostra que o leão ainda está vivo, parece frágil e inofensivo, mas está no aguardo do primeiro deslize, da primeira brecha para devorar o homem.

Quer um conselho? Aproveite e não dê alimento ao leão (jejum). O animal armazena energia dormindo, não deixe-o dormir (madrugada) e de acordo que os leões forem surgindo, mate-os com a espada (Palavra).

terça-feira, 25 de junho de 2013

Achados de Deus


Achei a Davi, filho de Jessé, homem conforme o meu coração, que executará toda a minha vontade. At 13:22b

É certo que muitos de nós já ouvimos algumas mensagens que tenham como base o texto em referência.

É muito interessante que alguém tenha um coração conforme o coração de Deus. Que bom é sabermos que podemos viver a mesma experiência, ou pelo menos, lutamos para alcançarmos o coração de Deus e a mente de Cristo.

Mas queremos dar uma outra ênfase ao versículo. “Achei a Davi.”

Davi foi achado. Poderia estar em um bom lugar, confortável, em uma situação de bonança e abastado, contudo, a forma que Deus expressa a vinda dele para sua presença é com o verbo “achar”.

Pouco importa se escondíamos atrás de uma boa família, de um bom casamento, bens. Ou se estávamos no vale da sombra da morte (apesar que é nessa condição que todos antes de conhecer ao Senhor estavam).O Senhor nos achou.

É maravilhoso, é motivo de darmos honras e glórias ao Rei dos Reis, Senhor dos Senhores, Aquele que é digno, porque Ele nos achou. Quando estávamos perdidos nas trevas deste mundo, assentados, esperando a morte que nos restava, Ele nos resgatou para sua Luz, nos achou em momentos que estávamos perdidos para nós mesmos. Glorifique ao Senhor, louve a Deus, as provas ao seu redor não tira de você e de mim a benção de sermos achados do Senhor.


Mensagem sugerida pelo irmão Thiago – JF.

sexta-feira, 21 de junho de 2013

A unção de Saul


A unção de Saul.

Preocupado com as jumentas extraviadas, Saul sai a procura delas e é pego de surpresa com a notícia que seria rei em Israel. A confirmação que o reino seria de Saul carecia de alguns importantes acontecimentos. Vejamos:

Primeiramente foi informado ao futuro rei que as jumentas já haviam sido encontradas e que seu pai estava à sua procura. Posteriormente, seria lhe dado pães. Por fim, Saul profetizaria.

Nesta história podemos ver a sombra da salvação no antigo testamento.

Um dia também nós estávamos preocupados com as nossas jumentas. Queríamos um bom emprego, um bom casamento, saúde, enfim, uns jumentinhos para sobrevivermos a esta vida. Mas no momento em que procurávamos pelo material, descobrimos que o Pai estava a nossa procura. Descobrimos mais, descobrimos que as jumentas já haviam sido encontradas.

O Pai sempre esteve a nossa procura. Quando o homem pecou, se escondeu de Deus, mas o Senhor sempre procurou o homem para restabelecê-lo no reino. No dia que descobrimos que o Pai nos procurava, descobrimos também que Ele tem cuidado de todas as coisas e nada tem nos faltado.

A caminhada da salvação é dinâmica e precisamos nos alimentar. Foi aí que nos foi dado o Pão Vivo que desceu do céu, nosso Maná, Jesus. É ele que tem alimentado a alma do homem.

Por fim, Saul foi cheio do Espírito Santo. Após descobrirmos o grande Amor do Pai, de alimentarmos da Palavra Viva, o homem tem a experiência do Batismo com o Espírito Santo.

Estes três “acontecimentos” confirmaram que o reino era de Saul. O Pai, o Filho e o Espírito Santo confirmam em nós a benção da salvação, o reino celestial.

quarta-feira, 5 de junho de 2013

E vós, quem dizeis que Eu Sou?


Mt 16:15 Disse-lhes ele: E vós, quem dizeis que eu sou?

Não discernir quem era Jesus não foi um equívoco específico do povo naquela época. Muitos somente veem uma face do Senhor.

Alguns achavam que Ele (Jesus) era João Batista, que por sua vez veio para preparar o caminho do Senhor. Outros pensavam que Ele era Elias, o profeta que restaurou o altar. Ainda outros Jeremias, o que chorava pelo povo. Por fim, algum dos profetas, aqueles que profetizavam a respeito de Jesus.

Se João veio preparar o caminho, Jesus se apresenta como O CAMINHO; se Elias restaurou o altar, Jesus restaurou o CORAÇÃO do homem; se Jeremias chorou pelo povo, Jesus não somente chorou, como também DEU A VIDA por nós; se os profetas profetizaram, Jesus é a própria PROFECIA de Deus que se cumpre no nosso meio. Se juntarmos todos os personagens bíblicos que foram uma sombra de Jesus, não conseguiremos reunir todas as características e qualidades Daquele que é PERFEITO.

Alguns hoje veem Jesus como um curandeiro, outros como aquele que faz prosperar, outros como um bom conselheiro (filósofo), etc.

Este talvez seja o grande erro que muitos cometem. Querem ver somente uma característica, uma face de Jesus. Não querem vê-Lo por completo. Não existe meia salvação, a salvação é um “pacote” completo para a vida do homem. Jesus não é só Aquele que pode curar, prosperar, restaurar, Jesus é Aquele que pode todas as coisas. Ele pode salvar, livrar o homem da morte eterna.

O evangelho de hoje está fatiado. Muitos querem um Jesus que multiplique o vinho, o pão, o peixe, mas nem todos querem um Jesus que jejuou (quarenta dias no deserto), que orou pelas longas e frias noites. Querem ser imitadores de Cristo na multiplicação, no milagre, mas não querem na santificação, na busca.

E vós, quem dizeis que EU SOU?

Mensagem sugerida pelo irmão Anderson - Ubá/MG.

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Manga com leite faz mal?


No tempo da escravidão os fazendeiros lançaram a falácia que manga com leite faz mal. Diziam isto visto que os negros consumiam fartamente as mangas que sobejavam nos pés, tendo em vista que a época, a manga não tinha valor comercial. Lado outro, o leite era um produto caro. Para que os negros não bebessem o leite, diziam que misturar manga com leite levava a morte.

Apesar de ter trabalhado bastante quando pequeno, eu não cresci numa fazenda dessas. Apesar que, em maior ou menor intensidade, a maioria dos brasileiros tem parentesco com os afrodescendentes, meus pais também não enfrentaram essa situação, seja como fazendeiro ou como escravizado.

Pergunto eu: por que mamãe me ensinou que manga com leite faz mal?

Assim é a religião. Passada de pai para filho sem se preocupar com a verdade. É dogma. Mas se não for verdade? Não importa, meus pais me ensinaram assim.

A religião escraviza, a obra do Espírito liberta.

"Conheceis a Verdade e a Verdade vos libertará"