quarta-feira, 26 de dezembro de 2018

Mais um ano...


Mais um ano que se vai.... Mais um ano que o Vasco quase caiu, o Flamengo quase ganhou títulos. Tragédias na aviação, violência, artistas que se foram...

Todos os anos parecem “meio” que iguais. Que tudo isso vai continuar no próximo ano, não tenho dúvidas, mas será que será um ano de “meio” servos?

Vamos lá. Quantas vezes no ano você orou por mais de quinze minutos? Quantas boas literaturas cristãs você leu neste ano? Quantos livros da Bíblia você leu? Quantas visitas em hospitais, asilos, cadeias? Quantos jejuns foram levados diante do Trono do Altíssimo?

Amigo, esses questionamentos eu fiz pra mim. Apenas publiquei porque pode ser interessante pra você também. Talvez, em 2019, a dieta não saia de novo. O carro novo não venha. Mas que seja um ano que eu seja mais servo do Senhor. É o desejo que tenho pra mim e pra você.

terça-feira, 20 de novembro de 2018

Ele vem e nós vamos


Então os filhos dos profetas que estavam em Betel saíram ao encontro de Eliseu, e lhe disseram: Sabes que o SENHOR hoje tomará o teu senhor por sobre a tua cabeça? II Rs 2,3a

Onde Eliseu passava os profetas anunciavam: ele vai subir; referindo-se a pessoa de Elias que seria levado pelo Senhor.

O tempo de Eliseu para aprender mais do seu mestre era breve. Poucos dias, poucos momentos. Perguntado por Elias pouco antes da sua partida o que ele (Eliseu) queria, não exitou em pedir porção dobrada do Espírito.

Bem, hoje continuamos a fazer o mesmo pedido que Eliseu: queremos mais do Espírito Santo. O tempo também é do breve. Só que em vez de anunciar que ele vai, anunciamos: Ele – Jesus - vem e nós vamos com Ele!

segunda-feira, 30 de julho de 2018

Troque o Eu por Nós.


Ne 04, 13b ... e pus ao povo pelas suas famílias com as suas espadas, com as suas lanças, e com os seus arcos.

Às vezes um dos cônjuges é melhor administrador que o outro, logo, tomará frente face aos negócios da família. Talvez, em outro lar, os dois dividam a mesma conta bancária. Outros, ainda, cada um tem sua parcela de responsabilidade financeira separada. Não importa.

Importa que ambos tenham a consciência que aquilo que conseguiram foram juntos, em família. Nada mais triste do que ver casais se despedaçando enquanto um deles tenta desesperadamente dizer que foi o responsável pela compra da casa, do carro...

Não existe instituição mais atacada hoje do que a família. Querem mudar seus conceitos, seus valores. Casamentos deixaram de ser perenes, duradouros, pra ter prazo de validade, na ideia derrotada que "se der errado eu separo" (primeiro passo para o fracasso). Namoros que atropelam seus limites. Pais que não tem tempo para orar, abraçar seus filhos. Filhos educados pela rua.

A reconstrução dos muros de Jerusalém, citada no texto por Neemias, deveria ser em família. Ao ficar pronto, todos podiam dizer "essa parte do muro foi minha família quem fez". Esposas ajudando maridos. Filhos ajudando os pais ou quando pequenos demais para trabalhar, brincavam próximos, vendo os pais unidos.

Aliás, diga-se de passagem, inveja e desejos alheios são frutos de muros baixos. Aí dá tempo pra ficar olhando o jardim, a esposa, o emprego alheios e esquece de viver em contentamento com o que Deus lhe deu.

Meu amigo, há tempo. Que tal começar hoje a construir os muros de proteção e limites da sua família, trocando o eu - fiz - pelo nós - fizemos? Sua família te espera!

terça-feira, 24 de julho de 2018

Salve-se quem puder!


E o anjo de Deus, que ia diante do exército de Israel, se retirou, e ia atrás deles... Ex 14, 19a

Se Jonas, sendo profeta de Deus, vendo 120 mil almas em arrependimento, não mudou seu intento de ver Nínive destruída, não me espanta ver "crentes" conformados em não pregar o evangelho. Ou pior, um evangelho seletivo, que vai atrás de famílias perfeitas, mas que não quer encarar as dificuldades das cadeias, prisões, hospitais, asilos, orfanatos, centros de recuperações de drogados, etc. Um evangelho que não cuida de ovelhas doentes, antes, prefere as sãs, mesmo porque, Jesus disse que veio para os saudáveis (#SQN). Não me espanta ouvir uma senhora dizer que deveríamos orar para certa pessoa ir embora da igreja pois ela é muito problemática. Não me espanta, mas dói.

Quando o povo saiu do Egito e viu o exército de Faraó vindo em sua direção, talvez, pela falta de fé recorrente narrada na Bíblia, aquele deserto tenha virado um "salve-se quem puder". Mulheres, crianças, deficientes, idosos, enfermos tenham se tornado a cauda da multidão. Como diz uma velha brincadeira, quando você está com outra pessoa e um leão vem para atacar, você não precisa correr mais que o leão, apenas, mais que seu amigo...

Vendo a indiferença ou a incapacidade de resposta bélica, Deus provê que o anjo e a nuvem fossem para trás do rebanho. Lá, fizeram separação entre Egípcios e Hebreus.

O cuidado do Senhor com a ovelha que se perde e o Pastor vai atrás é notável. Este é o verdadeiro evangelho. Que resgata aquele homem desacreditado, esquecido. O povo só foi salvo pois havia um anjo a retaguarda. Mais próximo dos esquecidos do que os vanguardas. Existe uma diferença entre salve-se quem puder e salvem a quem puder. Qual é o seu pensamento?

segunda-feira, 16 de julho de 2018

Lições da saída.


A saída do povo Hebreu do Egito é uma sombra maravilhosa da saída da igreja rumo a eternidade. De muitos textos que já publiquei a respeito, fiz um compilado enfatizando alguns detalhes:

1 - O livro de Hebreus diz que Moisés sendo grande (homem / crescido) negou ser chamado filho da filha de Faraó (Hb 11,24). Servir a Deus é uma decisão para homens. Não é para criança. Não é para pessoas imaturas, irresponsáveis, infantis, vitimistas. Pessoas que não se deixam exortar. "Ora, qualquer que se alimenta de leite é inexperiente na Palavra da Justiça, pois é criança".

2 - Hoje nós sabemos que Deus enviou dez pragas ao Egito. Mas os Hebreus nunca sabiam qual seria a última. Nós não sabemos o dia nem a hora, não sabemos qual será a última noite de sono, o último culto, o último dia de trabalho. Sabemos que, em breve, este dia chegará!

3 - As primeiras três pragas atingem tanto egípcios, tanto Hebreus. Depois disso, Deus faz separação. Ás vezes o povo de Deus também é atingido por algumas tribulações. Isso serve para mostrar que esse mundo, o Egito contemporâneo, não é um bom lugar pra viver. Se isso não ocorresse, seu bom carro, sua boa família, seu bom emprego, churrasco no fim de semana e a primeira colocação do time do Flamengo no Brasileiro te convenceriam facilmente a ficar por aqui. Porque o Senhor corrige o que ama, e açoita a todo filho a quem recebe.” (Hebreus 12:6). Thomas Brooks já dizia "Não pode haver uma maior evidência do ódio e da ira de Deus do que Sua recusa em corrigir os homens por seus caminhos pecaminosos e por suas vaidades!"

4 - Após a confirmação que o que Deus promete Ele cumpre, até mesmo alguns egípcios começaram a cumprir as orientações dadas através de Moisés. O único detalhe é que o Hebreu cumpria orientação para ter o gado em oferta ao Senhor, já o egípcio fazia para manter seu patrimônio. Servo de Deus busca ao Senhor pensando na eternidade. Falso servo busca pensando nas coisas dessa vida. Paulo já nos advertira em I Co 15:19 que quem busca a Cristo para essa vida é o mais miserável de todos os homens.

5 - As tentativas de Faraó junto a Moisés, contidas nos capítulos 08 e 10 do livro de Êxodo são parecidas com as ofertas que recebemos. Faraó "negocia" oferecendo que o povo adorasse a Deus no próprio Egito, que se fossem embora, não fossem longe, que indo, deixassem para trás a família. A proposta está lançada: servir a Deus mas continuar desfrutando do mundo de pecado, loucuras e excessos. Não precisa se distanciar, não precisa de santidade. O Egito sempre perto e acessível. Não há a necessidade de deixar o passado, o velho homem. Por fim, deixa sua família. Se essas propostas batem a porta do seu coração, tenha pra elas o NÃO convicto feito o de Moisés.

6 - O mesmo Mar Vermelho foi maravilha para Israel e foi morte para os egípcios. A mesma dolorosa cruz foi o lugar de encontro do ladrão com o Senhor e foi a sentença de condenação do outro malfeitor. O inimigo tinha certeza que o mar seria o ponto de derrota dos Hebreus. Era uma luta desigual. Uma força para a qual não havia providência humana disponível. Mas Deus agiu! Do meio de uma grande prova você pode ver Deus agindo em seu favor. Pisar um caminho que ninguém trilhou. Hebreus andaram a passos secos dentro do mar. Pedro andou sobre as águas. E a igreja pisará nas ruas de ouro. Caminhos que só os servos do Deus vivo tiveram e terão o prazer de trilhar.

terça-feira, 19 de junho de 2018

Profetizando o Corpo



Jo 11, 50 -51. Ora ele não disse isto de si mesmo, mas, sendo o sumo sacerdote naquele ano, profetizou que Jesus devia morrer pela nação. E não somente pela nação, mas também para reunir em um corpo os filhos de Deus que andavam dispersos.

Embora distante de ser um servo do Senhor, Caifás entregou uma profecia a respeito de Jesus. Disse que Ele morreria por uma nação (Israel), não somente pela nação, mas também para reunir em um corpo os filhos de Deus dispersos.

A palavra "Corpo" está ligada a Igreja. Referências? Seguem algumas... "um só corpo" 1Co 10:17 e Rm 12:5, "o corpo de Cristo" em 1Co 12:27 e Ef 4:12. Efésios 05, Hebreus 13 e Colossenses 01 também tratam a respeito.

Por serem saduceus e não crerem em ressurreições, os principais sacerdotes - aqui inclui Caifás - planejam matar Lázaro, a quem Cristo havia ressuscitado. Não havia como negar a maravilha, mas era necessário negar a fé para manter o cargo.

Ele até profetizou, mas munido do sentimento de poder, egoísmo, arrogância, agarrado a seu cargo, abriu mão da Verdade, da profecia e se apegou a algo passageiro. Teve a oportunidade de escrever seu nome no livro da vida, mas errou ao querer ocupar um lugar que não era dele: Sumo Sacerdote!

Caifás nos mostra que é possível profetizar sem viver a profecia; é possível falar de Corpo sem ser membro; é possível "conhecer" a Cristo sem aceitá-Lo como Salvador.

segunda-feira, 18 de junho de 2018

O choro de José.


Gn 45, 2 E levantou a sua voz com choro, de maneira que os egípcios o ouviam, e a casa de Faraó o ouviu.


A ordem de José para que os egípcios se retirassem do local em que estavam não foi suficiente para impedir aquele povo de ouvir o choro do governador. Mas aquele era um choro diferente.


Muitos vivem a reclamar com aqueles que nada tem ou nada podem fazer para resolver seus problemas. Murmuram suas decepções profissionais, reclamam do cônjuge, do pastor, da igreja.


Conhecendo a história de José, certamente, antes de chorar suas frustrações para algum egípcio, ele chorou aos pés do Senhor. Chorou em súplica, em lágrimas, em oração, para que o Deus que ele conhecia, o seu Deus, cumprisse as promessas que dantes lhe havia feito.


Resultado: o Egito ouviu seu choro. Não era qualquer choro. Era um choro de alegria, de contentamento, de perdão. Era o choro da promessa do Senhor se cumprindo.


Qual o choro que o mundo escuta de você? Murmuração, derrota, tristeza? Alegrias, perdão, vitória? O choro que o mundo escutará depende do quanto você chora em oração com Jesus. Faça sua escolha.

quinta-feira, 7 de junho de 2018

O que viestes ver?


Mt 11 07 E, partindo eles, começou Jesus a dizer às turbas, a respeito de João: Que fostes ver no deserto?

Em Mateus 11 a narrativa de Jesus parece dar grande crédito a João Batista. Nascido de mulher, não houve maior. Até aquele momento.

João era uma escada. Um palco. Como diz a Palavra, uma voz que clamava pelo deserto preparando para Aquele que ia de vir. E Veio.

Chegada a hora do show principal, saiu de cena o coadjuvante. E não pense que a posição de João Batista é somenos importante pelas expressões que usei neste texto. Que Deus me ajude a ser um ilustre desconhecido no Seu Reino a ser um famoso conhecido no inferno!

Mas antes disso, ainda se referindo a João Batista, Jesus interroga a multidão o que eles procuravam ao se dirigirem até o profeta. Uma cana agitada pelo vento? Homem ricamente vestido? Um profeta.

Dentro das igrejas há todo tipo de pessoas. Gente que se dobra pelos ventos das novidades, num movimento até bonito pra quem de longe observa, mas sem qualquer conteúdo produtivo. Gente que procura poder, dinheiro, influência, riqueza através do poder do evangelho, esquecendo-se que a vertente das Boas Novas tem diretrizes diferentes e que tal procura (poder, dinheiro...), deve ser feita na casa dos reis que governam esta vida e não na casa de oração...

Ah, sim, vão ver profetas.

Essa é a maior demanda. Pessoas que querem mais do que movimento. Querem algo sobrenatural, querem ver o profeta, mas sem qualquer compromisso com a profecia. Um dom espiritual aqui, uma cura ali, uma visão acolá e de repente uma vida passa sem experiências próprias, sem profundidade. E você? O que vieste ver? Eu vim ver Jesus.

terça-feira, 5 de junho de 2018

Meu filho; não esqueça de levar pão.


Mateus 16:5 E, passando seus discípulos para a outra banda, tinham-se esquecido de fornecer-se de pão. E Jesus disse-lhes: Adverti e acautelai-vos do fermento dos fariseus e saduceus.

Eu me recordo quando criança, meu pai levava meu irmão e eu para pescarmos.
 
Antes de preparar os materiais de pesca, anzóis, isca entre outros, ele ia à mercearia e comprava pão, e o recheava com aquela mortadela que quem já comeu jamais se esquece. Se você está pensando qual mortadela, é aquela que temos por vezes o desprazer de comer a fatia com a pimenta do reino inteira, e não sei por que todas as vezes era eu o presenteado com aquele inesquecível amargo na boca.

Deixando as lembranças de lado, e voltando ao texto, os discípulos não estavam indo para uma pescaria, era, na verdade, uma trajetória pelo mar.

E pelo menos quatro dos discípulos eram pescadores, muito bem-acostumados com este tipo de trajetória, e sabiam de uma coisa, no meio do mar não existe mercado, padaria, nem lanchonete, se você não levar alimento, você fica com fome.

Mas não era a primeira vez que isso acontecia. Na primeira multiplicação dos pães os discípulos também tinham se esquecido de levar pão para um local deserto. Dois locais, mar e deserto, que se formos atravessá-los, não podemos esquecer de levar pão.

Na primeira multiplicação dos pães estava ali um rapaz que entregou o que tinha nas mãos do Senhor e viu um grande milagre. Eu fiquei pensando na história daquele jovem que a Bíblia não diz mais nada, e me veio à mente um filme; sua mãe dizendo quando ele saísse de casa, "meu filho está aqui o seu lanchinho, não volte tarde". Mas isto é pura imaginação.

Verdade ou não, quem é pai e mãe e servem a Deus, sabem muito bem que este é nosso papel, não deixar que nunca nossos filhos se esqueçam deste pão, a Palavra de Deus.

O deserto e o mar, o mundo e sua configuração, não tem alimento para alma, ir para qualquer lugar, sem encher o coração com o pão da vida - Jesus - é praticamente um suicídio espiritual.

É hora de esquecermos muitas coisas, menos da palavra de Deus, e as promessas Nela contida, pois em breve Jesus virá.

Texto: Rodrigo Motta - Muriaé / MG. 

terça-feira, 27 de março de 2018

Pecado


"... o pecado ... sobremaneira maligno... " Rm 07:13

Cuidado com os leves pensamentos de pecado. Na hora da conversão, a consciência está tão sensível que temos medo do menor pecado. Recém-convertidos têm uma timidez santa, um divino temor de ofender a Deus. Mas ai de mim! Logo a fina flor sobre esses primeiros frutos colhidos é removida pela dura manipulação do mundo ao redor: a planta sensível da jovem devoção se transforma num salgueiro no pós-vida, flexível demais, inclinando-se com muita facilidade. 

Infelizmente, é verdade que mesmo um cristão pode ficar insensível de tal maneira que o pecado, que uma vez o apavorava, nem mesmo o assuste. Aos poucos os homens se familiarizam com o pecado. O ouvido perto do qual o canhão estourou, não perceberá sons leves. No início, um pecadinho nos assusta; mas logo dizemos: "Isso não é pequeno?" Então vem outro maior, e outro, até que, aos poucos, começamos a olhar o pecado como um mal pequeno; e então segue-se uma presunção profana: "Não caímos em grande pecado. Na verdade, tropeçamos no pouco, mas nos mantivemos de pé no principal. Podemos ter dito uma palavra profana, mas na maior parte de nossa conversa, temos sido consistentes." Então, aliviamos o pecado; jogamos uma capa sobre ele; o chamamos por nomes delicados. 

Cristão, cuidado para não amenizar o pecado. Tenha cautela para não cair pouco a pouco. O pecado é algo pequeno? Não é um veneno? Quem conhece seus limites? Pecado, uma coisa pequena? As pequenas raposas não estragam as uvas? Um minúsculo coral não pode construir uma rocha com restos de um navio? Pequenos golpes não fazem cair carvalhos imponentes? Gotejamentos contínuos não desgastam pedras? O pecado, é algo insignificante? Ele feriu a cabeça do Redentor com espinhos e perfurou seu coração! Ele o fez sofrer angústia, amargura e aflição. Se você pudesse pesar o menor dos pecados na balança da eternidade, fugiria dele como de uma serpente, e abominaria a mínima aparência do mal. Olhe para todo o pecado como aquele que crucificou o Salvador, e verá que é "sobremaneira maligno".

SPURGEON, Charles Haddon. Dia a Dia com Spurgeon. Manhã e noite. Ed. Pão Diário, 2ª Ed, 2017. Pág 152.

quinta-feira, 22 de março de 2018

Que águas são essas?


O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará. Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranquilas. Refrigera a minha alma; guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome. Sl 23, 1-3

Muito comumente olhamos para este salmo e logo pensamos em coisas para esta vida, "nada me faltará", pensamos na saúde, pensamos no dinheiro etc, mas o propósito do Espírito Santo é nos dar o entendimento de que não faltará da parte do Senhor recursos para alcançarmos a eternidade.

Deitar-me faz em verdes pastos...

O Senhor na sua grande misericórdia nos faz descansar em verdes pastos mesmo em meio a este deserto que é o mundo, mas nosso descanso não é aqui... nem tudo na vida do servo são verdes pastos, temos que passar por vários tipos de terrenos, pedregais, caminhos estreitos que nos levam ao aperto, mas tudo tem o propósito de nos moldar como servos, passamos sim por dificuldades mas o Sumo Pastor está conosco e assim não temeremos mal algum, ainda que pelo vale de sombra e de morte, mas ele é a nossa luz e é ele quem nos deu vida.

guia-me mansamente a águas tranquilas...

Que águas são essas? Águas tranquilas aqui no mundo? O próprio Senhor nos diz que neste mundo teríamos aflições.

Mas a palavra fala que existe um rio que alegra a cidade de Deus (Há um rio, cujas correntes alegram a cidade de Deus, Lugar santo dos tabernáculos do Altíssimo Salmos 46:4), e ainda diz que na eternidade tem um rio que se chama rio da vida (Então, o anjo me mostrou o rio da água da vida que, translúcido como cristal, fluía do trono de Deus e do Cordeiro. Apocalipse 22:1), onde a vida emana em abundância... a estas águas tranquilas que somos conduzidos todos os dias, a cada momento em que optamos por seguir o Senhor, de entregarmos nossas vidas cada vez mais em seu altar esquecendo as coisas desta vida e seguindo para o alvo.

Refrigera a minha alma;....

Só o Senhor pode nos dar esse refrigério; O Senhor as vezes nos faz deitar em verdes pastos, mas o intuito é nos fortalecer para que possamos estar firmes para sermos conduzidos as águas tranquilas do Rio da vida, lá é o nosso descanso. Enquanto isso o Senhor nos da pastos verdes na oração, nos jejuns, na comunhão com o corpo. Assim vamos nos fortalecendo e mantendo vivo no nosso coração a certeza da volta de Jesus.

Jason
Portugal

terça-feira, 21 de novembro de 2017

A indiferença de Deus

Aproveitando minhas últimas horas de férias deixo mais um texto. Na verdade, é parte do livro: O Silêncio do Cristão Sob o Ardor da Vara de Thomas Brooks. Se até então você não tinha visto suas lutas e provas por este prisma, pode se surpreender...

Porque o Senhor corrige o que ama, e açoita a todo filho a quem recebe.” (Hebreus 12:6)

Quando Ele não demonstra ira!
Não pode haver uma maior evidência do ódio e da ira de Deus do que Sua recusa em corrigir os homens por seus caminhos pecaminosos e por suas vaidades!

Quando Deus recusa-se a corrigir, resolve destruir! Não há homem tão perto do machado de Deus, tão perto das chamas, tão perto do Inferno, quanto aquele a quem Deus deixa de colocar em grande medida sob sua vara! “Eu repreendo e castigo a todos quanto amo; sê, pois zeloso, e arrepende-te” (Apocalipse 3:19).

Deus mostra-se muito mais furioso quando Ele não demonstra ira!
Quem pode meditar seriamente sobre isso e não ficar em silêncio sob o ardor da vara de Deus?

Todo Inferno que você alguma vez terá!

Considere Cristão, que todas as provas e problemas, calamidades e misérias, cruzes e perdas que você encontrar neste mundo, será o único Inferno que você terá!

Aqui e agora, você tem o seu Inferno. Logo mais, você deverá ter o seu Céu! Sua pior condição é aqui e agora; o melhor ainda está por vir!
(...)
Aqui você tem todas as suas amarguras, mas as suas doçuras ainda estão por vir! Aqui você tem as suas tristezas, mas as suas alegrias ainda estão por vir! Aqui você tem todas as suas noites de inverno, mas os seus dias de verão ainda estão por vir! Aqui você tem todos os seus males, porém, suas benesses ainda estão por vir!

A morte porá fim a todos os seus pecados e a todos os seus sofrimentos! A morte será uma entrada para essas alegrias, prazeres e confortos que nunca terão fim!
(...)

Então a escória aparece!
Poucos Cristãos veem e compreendem a si mesmos corretamente. Nas provações, Deus revela grande parte da pecaminosidade de um homem a fim de levá-lo à piedade. Quando o fogo é colocado sob a panela, logo aparece a escória. Assim, quando Deus prova uma pobre alma, Oh! Como... a escória do orgulho, a escória da murmuração, a escória da desconfiança, a escória da impaciência, a escória do mundanismo, a escória da carnalidade, a escória da loucura, a escória da obstinação — que se revela no coração da pobre criatura?


Os julgamentos são o espelho de Deus em que Seu povo pode ver suas próprias falhas. Oh! Que frouxidão, que vileza, que miséria, que bacia de imundícia, que abismo de maldade que as provações revelam existir em seus corações! “Eis que te purifiquei, mas não como a prata; eu escolhi-te na fornalha da aflição” (Isaías 48:10). Pág 06/07

Fonte: Facebook.com/OEstandarteDeCristo

OEstandarteDeCristo.com Issuu.com/oEstandarteDeCristo 

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Salvação é coisa séria!

Após o culto de sábado (18), uma pequena turma saiu para lanchar. Em algum momento a conversa girou em torno da mensagem pregada. Síntese: não ao pecado do consumismo, da pornografia, do engano, do rancor, da inveja... situações que afligem cotidianamente os servos e exigem um não diário.

Determinada serva reconheceu ser consumista e que não abria mão disso pois o dinheiro era dela.

Essa é uma questão de visão. Você pode dizer que o dinheiro é seu e faz dele o que bem entender ou reconhecer que administra algo que o Senhor te concedeu. Do que daremos conta a respeito da nossa mordomia?

A conversa continuou...

Disse: Quando Deus resolveu enviar seu JUÍZO ao mundo através do dilúvio, SALVOU 08 pessoas (Noé, Cam, Jafé, Sem e as esposas) em detrimento de milhares/milhões que se perderam. Quando o Senhor enviou o JUÍZO ao Egito e guiou o povo a Terra Prometida, acredita-se, historicamente, que cerca de 2 milhões de pessoas morreram no deserto e somente duas pessoas ENTRARAM NA TERRA PROMETIDA (Josué e Calebe). Quando Cristo multiplicou Pães e peixes, cinco mil homens (fora mulheres e crianças) se alimentaram daquilo que era um milagre pra esta vida, mas quando Jesus afirma que quem não comer da Sua Carne e beber do Seu Sangue não tinha parte com Ele (milagre para outra vida), apenas 12 homens ficaram, e um deles, diga-se de passagem, suicidou-se posteriormente.

Eis que fui confrontado na minha conversa: “então é muito difícil alguém se salvar”.


Sim, na verdade, é impossível qualquer um de nós se salvar. Para isso, Deus enviou seu Filho amado a morrer numa cruz em favor das nossas vidas. Isso se chama graça. Favor imerecido aos homens. Quem crer Nele e cumprir seus mandamentos terá a vida eterna. Quem insiste em negar a Cristo através de seus pecadinhos e viver uma vida brincando com a própria salvação, como diz parte da letra de uma música que um primo meu fez: corre o risco!

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Um quarto para o Homem de Deus

E sucedeu que um dia ele chegou ali, e recolheu-se àquele quarto, e se deitou. 2 Rs 04:11
Existe uma riqueza muito grande na história da mulher Sunamita, porém, quero ressaltar a iniciativa dela de construir um quarto para Eliseu. Ela poderia reservar um quarto qualquer para hospedar o profeta, contudo, resolveu separar um quarto especial.
Dentro da casa do coração do homem existem muitos quartos. Família, trabalho, casamento, lazer, Whatsapp(?), Facebook(?) entre outros, disputam cada canto visando espaço e tempo.
Se a sunamita separasse um quarto qualquer da casa, certamente, mais cedo ou mais tarde, ele poderia ser realocado para receber uma outra visita, para colocar a sogra que chegou de surpresa ou viraria o cantinho do cachorro. Por isso, talvez, conhecedora que os quartos da casa poderiam vir a ser ocupados por uma situação diversa, afinal de contas, a casa se prestava a isso, resolveu fazer um quarto especial.

Meu amigo, deixar a casa comum do coração para o Senhor pode te custar a ausência de um lugar para Ele. Lembre-se, quando Cristo nasceu não havia lugar em nenhuma estalagem para o Filho de Deus. Não houve reservas. Por isso, te convido a fazer um quarto especial. Normalmente, o quarto para o homem de Deus na vida de muitos é o quarto da sobra. Sobrou tempo eu oro, (ou quando estou em aflição), sobrou tempo eu leio a Bíblia. Que tal construir um quarto só pra Deus hoje? Deixar uma hora específica do seu dia para Ele, para orar, pra Ele vir te visitar de uma maneira mais especial. Alguns momentos mais específicos para ler Sua Palavra. Que tal? Assim como o quarto da sunamita, esse quarto deve ser construído e são grandes os benefícios de ter um quarto reservado para O Homem de Deus.

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

O convite para a festa

Este 01:12a Porém a rainha Vasti recusou vir conforme a palavra do rei...

Certa vez Jesus comparou a salvação a uma grande festa (Lucas 14). Na parábola, o dono da festa manda seus servos fazerem os convites. Um após o outro começaram as escusas.

Se existe uma missão em buscarmos, através do evangelho, os convidados para a festa de Deus (Grande Comissão), existe uma “preocupação” tão grande quanto, que é não perder essas vidas dentro da festa inicial. Seria isso possível?

Bem, para entendermos esse ponto é preciso sabermos que a festa da salvação inicia aqui mas só se completará nas mansões celestiais, onde a festa será perfeita! Aleluia!

Jesus advertiu da possibilidade de se realizar uma festa na casa do pai e participantes não estarem contentes e nem mesmo quererem participar já estando dentro da casa. É o caso da parábola do filho pródigo, sendo que o filho que ficou, não quis participar da alegria do pai por aquele que se perdeu e agora retornara (Lucas 15).

Esse foi o caso de Vasti. Morando dentro do palácio, convivendo com o rei, talvez estivesse acostumada com a presença dele, com as festas que fazia, estava cansada, enfim, são muita conjecturas, mas o fato é que estando dentro do palácio, ela não quis descer para participar da festa do Rei. Resultado: perdeu sua coroa.

Quem está lá fora não conhece a alegria da festa, a comida, a bebida, a presença do Rei que deixa a festa especial. Você, que já esteve ou está desfrutando da festa diária na presença do Rei dos Reis, sabe do que estou falando. Não recuse esse convite. Uma festa que Ele preparou e que não precisamos levar nada, apenas, a nós mesmos.