sexta-feira, 25 de abril de 2014

Conhecendo a Deus através da Palavra

Um dos meus chefes brinca dizendo que não vai na minha igreja (apesar de já ter ido uma vez) pois lá falamos a verdade e segundo ele, “quer valer-se da sua ignorância para utilizar como escusa ou atenuante no dia do julgamento final”.

Ouvir isso de alguém que ainda não teve um encontro com Deus não surpreende, mas surpreende este pensamento de um crente. Outro dia, conversando com um líder evangélico perguntei se ele tinha feito curso de teologia. Confesso que achei que o sujeito ia me “amaldiçoar” em nome de Jesus. Ouvi um sermão de uns dez minutos dizendo que o importante é a graça, a graça, a graça, e que teologia não salva ninguém, etc, etc.

Fato, ninguém encontrará a Cristo num seminário pois quem vai fazer este encontro é o Espírito Santo, mas eu “jurava” que na minha Bíblia estava escrito para crescermos na graça e no CONHECIMENTO. Lógico que teologia não está ligado a conhecimento, mas chega a ser surpreendente o quanto existe um desinteresse pela Palavra. Quantos hoje estão bem acomodados nos bancos das igrejas esperando apenas o que vai ser servido pelo pregador? Logo, vemos tanta gente sendo manipulada e um evangelho que mergulha dia e noite nas mesmas bases teológicas que tínhamos antes da reforma protestante.

O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento; Oseias 04:06a

Jesus reforçou tal entendimento quando disse que “errais por não conhecerem as escrituras”.

Por nossa falta de entendimento pagamos um preço muito alto. Comemos mal, gastamos mal nosso dinheiro e a maior prova social disso, votamos mal demais (a ver a realidade política do país).

É preciso voltar a Palavra para conhecer mais os desígnios de Deus. A Palavra viva afasta o pecado. Podemos perder uma geração social por causa do desconhecimento e da desinformação, mas não podemos brincar e perder a vida eterna por falta de conhecimento.

6 comentários:

  1. Olá, meu nobre amigo e irmão, graça e paz!
    Devo elogiá-lo pelo tema extremamente importante tratado acima, meus parabéns tanto pela iniciativa quanto pela forma como você o expôs.
    Como dizia o grande pastor e teólogo John Sttot: CRER TAMBÉM É PENSAR.
    Infelizmente, caro amigo, já entramos numa época de antiintelectualismo exacerbado, e é lastimável como essa filosofia secular está não só entrando no seio da igreja como também influenciando toda a teologia , doutrina e consequentemente a vida prática de muitos crentes.

    Minha resposta àqueles que adotam tal filosofia antiintelectual sejam crentes ou não é o seguinte:

    1. Fomos criados a imagem e semelhança de Deus. Esta imagem não se trata de aparencia fisica, uma vez que Deus é espírito. Esta semelhança se trata de qualidades cognitivas emocionais e intelectuais entre outras.Logo quando raciocinamos, pensamos, construimos pensamentos que por fim se converterá em prática estamos fazendo aquilo que fomos criados para fazer. Acaso o resulmo dos 10 mandamentos proferidos por jesus não diz que devemos amar a Deus de todo nosso coração, alma, força e ENTENDIMENTO ?Como foi citado os dois textos acima não diz que devemos amar a Deus buscando CONHECE-LO?

    2. aqueles que pensam que se isentando do conhecimento poderão pecar livremente e ter tal comportamento como "Certo" estão equivocados, pois tal pensamento já contém em si mesmo a premissa de que tal pessoa já sabe o que é certo ou errado devido a "lei da consciência" Rm 2.14-15. Tais pessoas receberão um juízo mais severo por tal atitude Mt 12.36; Mt 24.46-49.

    3. É certo que conhecimento teológico não é a causa da nossa Salvação, todavia todos nós chegamos a fé ATRAVÉS da PREGAÇÃO DA PALAVRA DE DEUS.Eu pergunto: existe alguma pregação que não contenha teologia? O que são as Escrituras a não ser um tratado teológico? Pedro em sua primeira carta no cap. 2.2 afirma que uma das provas que nascemos de novo é que temos desejo pelo leite genuíno(a palavra de Deus, a boa teologia). Aqueles que acham debates teológicos desnecessário deveriam estudar as epístolas e perceber que o intuito dos Apóstolos na maioria de suas cartas eram rebater falsas teologias e filosofias que estavam entrando na igreja(em corinto: favoritismos, agnosticismo etc. em Gálatas o legalismo...) enfim... aqueles que pensam que "Deus só que o coração" não sabem que em primeiro lugar coração é mente, intelecto e emoções. Em segundo que todos os Apóstolos se preocuparam não apenas com o emocional, mas com o intelecto, com a doutrina, com a sã teologia.
    Enfim...nossa vida cristã depende de conhecimento e esse conhecimento vem através de um estudo dedicado e devoto as Escrituras, esse conhecimento que nasce dos estudos e da oração e chamado teologia.
    Por isso: CRER TAMBÉM É PENSAR!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro amigo;

      Esperava seu comentário para este post. Acho que ele ficou a sua cara...rssrrs

      Concordo com suas palavras.

      abs

      Excluir
  2. A Paz do Senhor Jesus amado irmão.

    Gostaria de dar os parabéns pela postagem bem esclarecida.




    Fraternalmente Wallace Oliveira Cruz Blog Bíblia a Palavra de Deus

    www.facebook.com/ContaOficialdoWallace - http://bibliaapalavradedeus.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Muitos cristãos pensam que teologia é coisa de intelectual, de professor e de estudante de seminário. Além disso, muita gente na igreja se acha incapaz de entender a maior parte dos assuntos de que tratam os livros de teologia, mas elas acreditam que isso não importa, pois, afinal de contas, “essas coisas não têm aplicação alguma na vida real”.

    O que essas pessoas não percebem é que elas também fazem teologia. A palavra teologia, por exemplo, vem de duas palavras gregas — theos, que significa “Deus”, e logos, que remete à “razão” ou à “palavra” e, portanto, significa “discurso acerca de”. Por conseguinte, quem quer que pense e fale a respeito de Deus está fazendo teologia.

    Quem fala ou pensa muito sobre Deus cria uma estrutura na qual Deus é enquadrado. Essa estrutura é sua teologia. É a lente por meio da qual o indivíduo lê a Bíblia, ouve sermões, ora a Deus, lê livros e reflete a respeito dele. Quando lê algo sobre Deus, lê o pensamento teológico de alguém e usa o que lê para ajustar a própria teologia, quer se dê conta disso, quer não.

    Portanto, não há fé sem teologia. Não há quem leia a Bíblia sem recorrer — consciente ou inconscientemente — a uma teologia que a interprete. Ninguém ouve um sermão sem um referencial teológico que, de um lado, é modificado em alguma medida e, de outro, ajuda a interpretá-lo. Concluímos, então, que todo cristão que gosta de pensar traz consigo alguma teologia. A questão não é se fazemos teologia e a usamos, e sim qual teologia fazemos e usamos. Daí vem a pergunta: “Como sabemos se nossa teologia, isto é, a visão que temos de Deus, é a correta?”.

    Vou tentar responder a essa pergunta com uma ilustração. Imagine que há uma grande mulher de Deus em sua igreja, que há quarenta anos lê a Bíblia e estuda teologia. Ela não só tem um conhecimento profundo da Escritura e sabe como interpretá-la para sua vida e cultura, mas também leva uma vida de santidade. Sua humildade e seu amor sempre deixam as pessoas admiradas. Suponhamos que, mesmo a conhecendo, você tivesse a seguinte atitude: “Vou construir sozinho minha teologia [lembre-se: sua teologia é a maneira em que você enxerga Deus], pela simples leitura da Bíblia e de livros de teologia”. Não seria uma atitude estranha, visto que há uma teóloga piedosa em sua igreja? Não seria esse um exemplo do pecado do orgulho? A advertência de Provérbios nos vem à mente: “Os insensatos desprezam a sabedoria e a instrução” (Pv 1.7).

    Desconsiderar as mentes santas e grandiosas da igreja — que há milênios refletem sobre Deus — quando elas estão bem perto de nós, em livros e na internet, parece arrogância e presunção. Uma atitude assim despreza a admoestação bíblica de que há sabedoria “na multidão de conselheiros” (Pv 11.14). Essa atitude também desconsidera outra advertência bíblica segundo a qual aprender com outras mentes santas e comparar nosso pensamento com o delas é como afiar ferro com ferro (Pv 27.17), tornando nossos pensamentos sobre Deus mais afiados e claros. O resultado é um conhecimento mais profundo de Deus que, como disse Jesus, é a “vida eterna” ( Jo 17.3).

    Esse é o começo da resposta à pergunta “Como posso saber qual teologia é a melhor?”. A melhor maneira é estudar as teologias das grandes mentes da igreja.



    Fraternalmente Wallace Oliveira Cruz Blog Bíblia a Palavra de Deus

    www.facebook.com/ContaOficialdoWallace - http://bibliaapalavradedeus.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bom o comentário e esclarecedor...

      abs

      Excluir