quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

O convite de Moisés

Números - Capítulo 10

29: Disse então Moisés a Hobabe, filho de Reuel, o midianita, sogro de Moisés: Nós caminhamos para aquele lugar, de que o SENHOR disse: Vo-lo darei; vai conosco e te faremos bem; porque o SENHOR falou bem sobre Israel.

vai conosco
Na história retromencionada, podemos ver os desígnios de Deus para Israel, sombra e ensino para aquilo que Deus quer de sua igreja. Primeiramente vemos um convite de Moisés a Hobabe. O projeto de herdar a terra prometida não estaca exclusivamente com os israelitas, mas no caminho pelo deserto, houve convites para que outras pessoas incorporassem naquele grupo. Os povos que estavam em volta, politeístas por excelência, agora viam um povo diferente, monoteísta, que serviam a um Deus vivo, que eram acompanhados por milagres e maravilhas, coluna de fogo, nuvem, etc. Cabe hoje a Igreja Fiel, também cercada por politeísta, que através de seu testemunho e convite, mostrem a este povo o caminho da salvação.
Nós caminhamos para aquele lugar, de que o SENHOR disse: Vo-lo darei
Moisés continua dizendo que estava indo para a terra prometida. Era o único povo que sabia para onde estavam indo. Os demais estavam vagando pelo deserto.
te faremos bem
Aqueles que tem se juntado a este povo tem recebido todo bem. Visitas, orações. Alguns nem se converteram ao Senhor, apenas desfrutam do bem que o Senhor tem concedido a congregação.
porque o SENHOR falou bem sobre Israel.
O Senhor falou bem de Israel. Talvez outros povos não falassem isso. Mas o que importa? O que o povo pensa ou o que Deus pensa? Hoje Deus vê com bons olhos a sua igreja fiel. No mundo muitos falam mal de igrejas, ocorre uma generalização. Mas nós sabemos para onde estamos indo. Rumo a terra prometida. Importa o que Deus pensa de nós.

2 comentários:

  1. Ter um bom testemunho de Deus a nosso respeito não tem valor e apesar de não sermos perfeitos, é possível sim, acharmos graça diante dEle.

    Roberta.

    ResponderExcluir
  2. Amém. Um testemunho prega mais que palavras...

    ResponderExcluir