quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Cuidando das ovelhas



Pedro, apascenta minhas ovelhas.

Os discípulos andaram com Jesus aproximadamente três anos. (Exclui-se da contagem os quarenta dias que o Senhor ficou no deserto). Era 24 hs por dia juntos. Um período que se contabilizado, supera em muito a duração de uma faculdade. Foram formados pastores melhores do que qualquer PHD em teologia.

Jesus tratou seus discípulos de uma forma diferente, os amou com um amor incondicional. Chamou-os pelo nome. Cuidou deles. Agora imagina se ao invés de amor e respeito os discípulos tivessem medo de Jesus. Talvez desistiriam da caminhada ou aqueles que continuassem, não teriam coragem de perguntar as dúvidas que estavam surgindo, tendo em vista o medo da resposta. Somos chamados a apascentar um rebanho que não é nosso, rebanho este que é do Senhor. Lembramos que somos mordomos e não donos da obra. Há muitas ovelhas que estão chegando, sujas, feridas. Estão precisando de cuidado e não de um tiro de misericórdia. A ovelha que volta precisa ouvir um “que bom que você voltou” e não um “bem feito por estar machucada, quem mandou sair do aprisco”. Há figuras hoje que causam medo. Quando chegam nas igrejas, ao invés de alegria, geram receio.

Lado outro, imaginem também se os discípulos fossem melindres. Quantas vezes Jesus não chamou atenção deles. Disse que eram homens de pouca fé. Chego a ficar com os “zói umidecido” de pena de Pedro. Coitado. Tomou alguma cajadada. (risos). Mas foram firmes. Perseveraram, venceram e foram honrados pelo Senhor.

Quem quer ter a nobre missão de apascentar deve conseguir internalizar esta situação. Aprender absorver as correções pra si transformando-as para as ovelhas em amor. É um processo. Construção contínua dentro do coração do homem. Só se concretiza com ajuda do Espírito Santo. Descobrir o tempo certo de falar e agir. Abominar o pecado, mas amar o pecador. 

8 comentários:

  1. Jesus não foi chamado de Mestre a toa, seus ensinos não foram somente teoricos mas tambem praticos(basta ler os evangelhos,Entendemos então que aquilo que o Mestre(Jesus)tem nos ensinado não é somente para ficar na teoria, mas para ser praticado a cada instante.
    Vou dar um exemplo: Falar de amor e amar com Jesus ama o Homem incondicionalmente.
    Ensino de Jesus:Amai - vos uns aos outros...

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pelo comentário. Realmente, Jesus é nossa referência, em tudo, inclusive, em amor.

    ResponderExcluir
  3. É impressionável a forma como Deus age... enquanto Pedro era discípulo, e estava aprendendo, vezes aprontava uma, pois agia com a razão e independência.

    Quando, porém, aprendeu a agir na dependência do Senhor, não se ouve mais falar de Pedro, absurdos nas suas condutas.

    Assim também somos nós... enquanto longe de Deus, nossas falhas são creditadas para nossa própria condenação... Mas, após o encontro com Jesus e transformação genuína pelo Espírito Santo... ainda continuamos falhando, sim, (por sermos pecadores na essência), mas agora não mais pecados para a morte, primeiro porque andamos na luz, segundo porque o preço foi tão caro que encobre essas nossas falhas atuais e até as futuras.

    PS: Entendam, digo erros no sentido da falha humana, cometidos de forma rotineira e, muitas das vezes, sem dolo (...não há homem justo sobre a terra, que faça o bem, e não peque. Eclesiastes 7:20).

    Porque há pecados que corrompem (matar, roubar, adulterar, prostituir, fornicação, etc...)

    ResponderExcluir
  4. É verdade meu caro amigo. Deus mudou a vida de Pedro de uma forma incrível. abraços

    ResponderExcluir
  5. Amém se responde com Amém. rsssr

    Bom te ver sumida.

    abraços

    ResponderExcluir
  6. Júnior - Cataguases3 de outubro de 2012 11:27

    O relacionamento que Jesus tinha com os seus discípulos é tao maravilhoso, que quando passamos pelos evangelhos, vemos a grande comunhão que tinham uns com os outros, vemos no exemplo da ceia quando Jesus disse que dentre eles um iria traí lo, a expressão de surpresa que tiveram, pois a comunhão era tanta que nunca pensariam que isso poderia acontecer, ninguém criticava ninguém. O mais espetacular é a pergunta de João . “ Quem Senhor?” para se perguntar quem , no mínimo ele tinha a certeza que ele não era, João dentro todos do colégio apostólico foi o discípulo ao meu vê que mais acanlçou a intimidade do Mestre, ele estava certo que ele não iria trair a Jesus.
    O chamado e o processo da Salvação erao tão evidente na sua vida, que ele poderia ter a convicção de que ele não era o traidor.

    ResponderExcluir
  7. Colégio apostólico...
    tá escrevendo bonito hein...

    Obrigado pelos comentários.

    Realmente a confiança entre eles era muito grande. Talvez por isso não perceberam o que Judas vinha fazendo.

    Nossa confiança deve sempre ser em Jesus. abraços

    ResponderExcluir